Amor virtual

Os avanços tecnológicos sempre fizeram com que o homem avançasse no tempo e conquistasse seu próprio espaço neste planeta , onde adaptando-se  as revoluções tecnológicas reconfigura sempre seu estilo de vida. Esse mesmo  processo tem ocorrido desde a invenção da Internet, sua descentralização e popularização.

Hoje em dia é muito comum, por exemplo, mandar e receber um e-mail do que uma carta. Entrar em uma sala de bate-papo ao invés de ir a uma praça e conversar com alguém ali. É muito comum, você ter amigos virtuais que talvez jamais venha a conhecer algum dia e, com eles, trocar algumas experiências.É muito comum até mesmo obter-se sexo, ainda que seja audiovisual.

Mas quanto ao amor ou namoro virtual, é possível sua existência? Muitos sites de relacionamentos têm apostado nessa idéia, e muitos internautas enveredam por eles em busca da cara metade ou de um amor mais substancial, o que a primeira vista pode  até parecer ser contraditório, pois no mundo virtual tudo tende a ser dissolvido. Então por que será que  muitos estão buscando um relacionamento mais duradouro, mais consistente e tangível em um espaço etéreo? O que leva alguém a trocar as táticas tradicionais da paquera, da corte e do namoro por esses sites e chat’s?

Uma das possíveis respostas para essas perguntas, pode ser que na Internet as pessoas ao se transformarem em avatar’s ou nickname se rotulam em suas próprias características e predileções. Tornam-se,portanto, mais acessíveis. Além disso, a fronteira geográfica que no mundo real pode e separa possíveis casais, no virtual, ela é dissolvida, possibilitando que duas pessoas de cidades, Estados ou mesmo países diferentes , que tenham verossimilhanças no âmbito amoroso, possam se conhecer e manter uma relação amistosa dentro da rede.

O problema é quando a partir disso, a amizade começa a se transformar em amor. Quando os dois feridos pela distância começam a sentir a necessidade de se tocarem, de se beijarem e de se amarem verdadeiramente. É então onde começa o amor virtual.  Um amor translúcido, transcendental, etéreo, diáfano, e que na ausência do corpóreo, tenta apegar-se às palavras digitadas  na tela de um computador. Busca entreter-se em exibições de imagens e sons como um arremedo da necessidade física.

Muitos têm criticado severamente esse tipo de comportamento, alegando que isso tem contribuido para a promiscuidade das pessoas e também para a indiferença em suas relações interpessoais cotidianas. Mas o fato é que,  se existe a busca pelo amor verdadeiro, então podemos dizer que ainda existem pessoas que querem namorar, casar e ter um relacionamento que transponha o sexo, e a Internet, por meios desses chat’s e sites de relacionamentos, tem oferecido apenas mais uma porta para esses corações inflamados e sequiosos de amor. É verdade que muitos distoam a palavra amor, quando o confudem com sexo,mas isso não é um fenômeno assim tão recente na história da humanidade. Tem sido assim sempre. O que importa é a intenção e não o veículo utilizado. Contudo, embora a Internet tenha facilitado eses encontros e fomentado esses amores virtuais,ela por si só, não poderá salvaguardá-los, pois as necessidades viscerais do amor estão ligadas intimamentes ao físico. Por isso, um amor virtual pode ser concebido e alimentado, mas para que sua manutenção possa de fato existir, ele deve transpôr a fronteira do virtual e deixar de ser etéro para ser concreto e palpável.

Sexo virtual

emanuel_bbb9Desde a invenção da Internet sabe-se que muita coisa mudou não só no âmbito da comunicação e informação, mas também no comportamento da sociedade. A interface do homem com a máquina tem modificado e reconfigurado o comportamento de muitas pessoas.

Exemplo disso é o sucesso dos chat’s e salas de bate-papo, onde mesmo com a perda do corpóreo o virtual tenta imita o real através de emotocions, sons, e imagens. Além disso, as afinidades são um pré-requisito para a extensão dessas atividades.

Mas o que antes era apena utilizado para estreitar ou manter relações amistosas, hoje, como tudo na Internet, isso evoluiu. Prova disso são os inúmeros sites de relacionamentos existentes no ciberespaço onde os usuários podem ou pretendem buscar um companheiro(a). Outros ainda oferecem, mesmo na falta do tangível, sexo virtual, onde muitos buscam nesse espaço suas satisfações e prazeres mais recônditos.

De fato, esses sites que oferecem sexo como o cam4 são sempre os mais acessados em todo o mundo. Mas a que se deve todo esse sucesso? Ao me imiscuir neste meio, fiz uma pesquisa empírica de onde pude apurar que grande parte dos usuários são homens( e aqui não cabe diferenciá-los entre bissexuais, heterossexuais ou homossexuais), e que grande parte deles vêem nesse espaço uma, e somente nele, brecha para espiar/exibir seus corpos durante um ato ou manipulação sexual a fim de satisfazerem seus desejos mais obscuros. Tudo por que, segundo afirmaram alguns dos usuários que eu entrevistei, receiam viver isso abertamente na sociedade por que sabem que serão descriminados ou rotulados. Outros ainda tem complexo consigo mesmo por não quererem assumir uma bissexualidade ou homossexualidade. Assim, buscam nesses sites uma chance, ainda que mínima, de satisfação sexual.

Entretanto, o problema reside exatamente aí, por que grande parte deles se esquecem que do outro lado da máquina existem outros tipos de pessoas com afinidades e expectativas diferentes. Exemplo disso, são as travestis e transsexuais que usam essas janelas virtuais para encontrarem o parceiro ideal ou mesmo um namorado, mas que quase sempre são vistas apenas como um objeto sexual. “Eu não iria paquerar jamais com uma travesti no meio da rua ou em uma praça, mas ali no cam4 eu tenho essa possibilidade. E nem tão pouco posso considerar que tive uma relação homossexual, se isso me desagrada, apenas por que fiz sexo virtual”, afirma “carioca” freqüentador assíduo do site.

Mas também existem aqueles que por falta de coragem de viverem uma perversão maior, mergulham nesse espaço por que sabem que a coisa no fim pode ser dissolvida como apenas um clic como quase tudo no ciberespaço.

O fato, é que por um motivo ou outro, o sexo virtual vem ganhando proporções gigantescas pelos internautas. E se isso é nocivo ou não para a moral da sociedade ou para o cultivo das relações interpessoais dos indivíduos só o tempo dirá.

Transmutação do real para o virtual: a construção ou a desconstrução de um personagem

A internet, principalmente os sites de bate-papo, oferece uma gama de ferramentas que possibilitam uma pessoa ser o que ela não poderia ser na vida real. O virtual passa a não ser somente um ambiente de interação, mas também um ambiente de realização, onde necessidades, frustrações e desejos são supridos com apenas alguns “cliques” no teclado.

Loiro, olhos claros, musculoso e inteligente. É assim na internet, você adquire a capacidade camaleônica de se transformar e ter características que não tem no mundo real, e é por isso que muitos procuram neste ambiente um local de liberdade ou até mesmo um abrigo. Em andanças pelos bate-papos de temática homossexual, encontramos pessoas que procuravam por amizade, relacionamentos amorosos, sexo virtual ou casual e o mais intrigante, realizar uma fantasia. Mas o que faz o mundo virtual ser um ambiente mais acolhedor que o real? A essa pergunta, uma resposta unânime dos entrevistados: anonimato.

O anonimato está presente nos nicknames, contas fakes de MSN ou Orkut e nas imagens de exibição. É a forma de se proteger de uma sociedade que se diz “mente aberta”, mas que prova que é ainda é preconceituosa. O paulistano Rogério, 25 anos, relata que o preconceito tolhe o modo de viver em sociedade, em que o gay tem que ser recluso dentro de si. “Busco na internet um refúgio, um local em que posso me soltar e ser eu mesmo. Em sociedade, tenho que ser o Rogério heterossexual, pois tenho certeza que nem meus amigos me aceitariam como gay” e completa “o assunto é permitido na casa do vizinho, mas na sua é um problema”.

A maioria dos gays vê nos chats um lugar de liberdade, onde os limites não são bem definidos ou são facilmente burláveis. Desse modo, vale de tudo na construção de um personagem, que busca saciar um desejo de viver sem máscaras e, assim, poder libertar seu “eu” mais verdadeiro.

Depoimento de uma Cross Dresser

article-1044427-01BC8F5D00000578-619_468x541Hoje é sábado, dia da minha transformação. Fico sempre muito nervoso e ansioso o dia todo esperando para ficar só em casa, pois meus pais sempre saem nos fins de semana. Na verdade, fico contando nos dedos para que chegue sábado, sobretudo, para que chegue sábado à noite, pois é onde eu deixo de ser uma máscara, e vou ser eu mesmo. Deixo de ser Bruno, para ser Beatriz em apenas um clik.

É assim, por exemplo, que eu entro em sites de relacionamentos como o orkut, cam4, parperfeito, amor proibido e chat’s como o msn e salas de bate-papo como da uol à procura de parceiros não apenas sexuais, mas também afetivos. Mas me esconder atrás de um simples nome, não é o suficiente. Eu preciso também ser de fato Beatriz. Assim sendo, eu, aqui trancado em meu quarto, começo meu ritual de transformação: coloco peruca, langerie, sapato alto, maquiagem e viro uma Cross Dresser. Essa transformação faz-se mister, primeiro para o meu próprio deleite, depois para que com isso, eu, sendo Beatriz e não Bruno, consiga atrair meus parceiros, pois quando estou no dia a dia, sendo apenas Bruno, percebo que minha masculinidade afasta os homens,enquanto que a mesma atrai as mulheres.

Esta dualidade em mim se rompe quando eu entro no mundo virtual dos chat’s, pois aqui quero ser apenas Beatriz. Aqui a feminilidade em mim impera e fala mais alto, e é através deste canal, que dou asas ao meu erotismo, que por causa dos tabus desta sociedade ludovicense, preciso sufocar no mundo real. Pois, cantar um homem em uma sala de bate-papo ou em um chat é sem dúvida muito mais fácil, do que se eu o fizesse em uma praça, barzinho ou shopping, por que no mundo virtual, além do anonimato que nos dá mais ousadia e coragem, existe também a questão dos rótulos, onde já podemos traçar um certo perfil e selecionar àqueles que mais nos apetecem.

Assim, quando entro como Beatriz em uma sala de bate-papo, e ali insiro uma foto, ou abro minha web cam no msn, eu busco aventuras sexuais e procuro conquistar com o meu perfil àqueles que mais me interessam. Mas o que é interessante é que, embora eu já tenha tido relações sexuais verdadeiras após ter um primeiro contato no mundo virtual, eu, após desligar o computador, desfaço-me deste personagem, e volto a ser Bruno, aquele rapaz galanteador e conquistador de mulheres.

Sou consciente que uso as redes sociais existentes na Internet como uma válvula de escape para dá vida aos meus desejos mais obscuros e se o faço é tão somente por que não posso ser Beatriz por 24 horas. Sei que pode parecer loucura, mas sei também que não sou o único a fazer isso, haja vista o grande sucesso dessas redes sociais e sites de relacionamentos.

CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA : 

Bruno disse (22:45):

Oi bem vindo ao meu espaço.

rsrsrs

Pausini diz:

Obrigado, vc também ao meu.

Bruno diz:

Fique a vontade!

rsrsrs

Pausini diz:

legal

Bruno diz:

rsrsrsrsrs

e a camera vai ligar?

Pausini diz:

Querido deixa eu te falar

agora estou fazendo aqui um trabalho para a faculdade

Bruno diz:

Fala coisa linda!!

Pausini diz:

Sobre redes sociais e os personagens virtuais

Bruno diz:

Sobre nós

nós no orkut

nós no twiter

Pausini diz:

Também

Bruno diz:

nós no msn

Pausini diz:

também

Bruno diz:

Nós no marketing de rede

de empresas

isso é bom

Pausini diz:

É

Bruno diz:

Vai lá

bom trabalho

Pausini diz:

Mas posso falar contigo um pouco !!!

Bruno diz:

Não gosto de pouco

gosto de 100%

rsrs

Pausini diz:

Oh desculpa amor

Bruno diz:

E como vc ta vestido?

Pausini diz:

De camiseta e short

Bruno diz:

Posso ver?

Pausini diz:

mas não poderei fazer nada querido ou te dá tanta atenção assim

Bruno diz:

Liga a cam

so um minuto e faz o que eu te pedir

rsrs

Pausini diz:

Oh ,daqui a pouco.

Bruno diz:

ok

Pausini diz:

Hei deixa eu te falar vc poderia me ajudar quem sabe nesta minha matéria

Bruno diz:

Pode ser

como

?

Pausini diz:

Primeiro preciso saber se vc usa sites de relacionamentos ,usa?

Bruno diz:

sim

Pausini diz:

Quais?

Bruno diz:

Orkut, cam4

salas de bate papo

exemplo; uol bate papo

Pausini diz:

Que mais ?

Bruno diz:

Pausini diz:

Só querido?

vamos lá,

Mas o que vc busca nesses sites?

Bruno diz:

Amigos,…

uma coisa boa, informações novas

novidades que tem em uma região e ainda não chegou aqui

novos contatos profissionais

pois é uma forma de merketing pessoal

Pausini diz:

E vc procura sexo virtual também?

Bruno diz:

rsrsrs

sim

procuro

não que eu va comer todo mundo mas é uma forma de encontrar mais gente

Pausini diz:

Com que frequência vc procura sexo através desses sites

Bruno diz:

Não é frequente

acho que …

Pausini diz:

Que?

Bruno diz:

Na verdade eu busco muito sexo na Internet

mas é geralmente nos dias de sábado que eu faço isso.

é mais uma porta para mim

entende? Por que fico só em casa à noite e aí já sabe né?

Pausini diz:

Agora me fala uma coisa vc quando procura na Internet, procura por homens ou mulheres?

Bruno diz:

Geralmente são homens, mas

procuro um perfil interessante

Pausini diz:

E que tipo de perfil te atrai na Internet que não te atrairia no mundo real?

Bruno diz:

É difícil explicar. Mas geralmente eu busco homens que queiram me tratar como mulher.

Pausini diz:

Então vc é bissexual certo?

vc então canta homens e mulheres abertamente no mundo real?

Bruno diz:

Não, no mundo real eu jamais cantaria um homem.

Pausini diz:

Por que?

Bruno diz:

Por que não posso saber se ele vai gostar ou não, e depois preciso manter as aparências.Eu sou homem fora da tela do computador.

concorda comigo?

Pausini diz:

Mas vc então admite que quando entra no mundo virtual assume uma outra personalidade.

Bruno diz:

rsrsrsrs

sim

eu fico mais gay

Bruno diz:

Nesse caso como vc faz para conseguir tuas aventuras sexuais fora da Internet.Que tipo de comportmento vc usa?

Bruno diz:

Tenho bem poucas relações com homens, e sempre as tenho através daqui

meu comportamento longe daqui é outro, morro de medo que saibaam que eu também gosto de homem.

Pausini diz:

Então vc jamais chegou para um homem e disse para ele que queria ficar com ele e pronto no mundo real?

Bruno diz:

Nunca, embora sinta muita vontade.

Mesmo que o cara dê em cima de mim.

Pausini diz:

Afinal como vc faz para esconder sua bissexualidade?

Bruno diz:

A questão é que na internet a mulher n esconde ser lesbica nem o homem não finge ser homem, pois ja vem escrito no rótulo. Por isso não preciso esconder o que sou.

Pausini diz:

Então vc admite que na Internet é mais fácil dar-se , digamos, uma cantada por causa desses rótulos certo?

Bruno diz:

sim

Pausini diz:

Bingo

Bruno diz:

pronto

Pausini diz:

Nesse caso vc também admite que envereda mais pelo mundo virtual a procura digamos de parceiros ou parceiras exatamente por causa disso?

Bruno diz:

Parceiros sim

não canto mulheres na Internet

Como disse eu me transformo aqui, deixo de ser uma máscara. Inclusive eu até me visto de mulher.

Pausini diz:

Nossa! Tudo para entrar em uma sala de bate-papo?

Bruno diz:

rsrsrsrs não só isso, por que sei que posso encontrar um parceiro e quero ser mulher para ele, entende?

Pausini diz:

Entendo. Mas vc fica com mais homens ou mulheres?

Bruno diz:

mulheres

Pausini diz:

Deixa ver se eu entendi; Vc se veste de mulher, coloca um nome de mulher e entra em uma sala de bate-papo e aí depois sai com alguém que conheceu lá é isso?

Bruno diz:

Em parte sim. Mas nem sempre dá para sair e aí ficamos apenas no sexo virtual.

Pausini diz:

Gostas de sexo virtual?

SBruno dizuper:

Mais ou menos

Pausini diz:

Por que mais ou menos?

Bruno diz:

Falta contato

Pausini diz:

Mas gosta de ver então.

Isso te excita?

Bruno diz:

Sim

Pausini diz:

Então gosta de fato.

Vc já entrou na Internet apenas em buca disso?

Bruno diz:

Sim.

Pausini diz:

Frequentemente faz isso?

Bruno diz:

Não

caramba quanta pergunta

rsrs

Pausini diz:

E o que te leva a entrar na net para buscar sexo virtual?

Desculpa já estou terminando.

Bruno diz:

O que me leva…

não sei te responder essa

essa foi boa

não sei mesmo

Pausini diz:

Essa é a principal.

Faça um esforço.

De repente vc se sente carente, está desejando alguém e não pode tê-la ou algo e aí corre para a internet para encontrar

mesmo que seja apenas uma satisfação visual

Bruno diz:

Pode ser

busco uma coisa mais fácil e sem compromisso

pronto

tem menos compromisso

Pausini diz:

Não acredita portanto em prostituição virtual?

Bruno diz:

Depende

não há uma comercialização

é como ir em uma festa e tentar conquistar uma pessoa

agora claro o cidadão pode se oferecer e cobrar um benefício por isso

e ai sim há prostituição

Pausini diz:

Certo

Agora, juro, estou quase terminando,

vc quando entra com um nik que não é o seu nome, por que faz isso

em algum site ou bate-papo?

Bruno diz:

Pq é uma forma de proteção

Pausini diz:

Por que se deve proteger?

do que tens medo?

Bruno diz:

Olha, eu moro com minha mãe, tenho meu trabalho e até namorada. Preciso disso se eu falasse meu nome

as pessoas saberiam quem era eu, o doido

Pausini diz:

Então vc usa a Internet como uma válvula de escape.

Bruno diz:

Não sei se esta me entendendo

Pausini diz:

Na net vc fica mais livre e solto

audacioso

por causa do anonimato certo?

Bruno diz:

Sim posso errar mas com outro “nome”

Pausini diz:

Bingo!!

Acertei de novo

já estou traçando aqui um perfil

Bruno diz:

Certo, já acabou?

Pausini diz:

é acho que sim.

deixa só eu recapitular tudo aqui

vc tem microfone aí

Bruno diz:

Não ta com defeito

na verdade nunca funcionou

Pausini diz:

Oh

queria uma gravação!!

mas tudo bem

obrigado pela entrevista

e desculpa se foi chato

vou usá-la na minha matéria

Bruno diz:

so foi demorado

mas foi bom

Pausini diz:

Qual o nome do teu personagem virtual

o nome que vc mais usa quando entra?

Bruno diz:

Quando entrar onde?

Pausini diz:

No mundo virtual,

em salas de bate-papo

Bruno diz:

Qualquer um desde que seja um nome de mulher

Pausini diz:

exemplo?

Bruno diz:

olha esse ai Perigosa

Pausini diz:

Tens quantos anos mesmo?

Bruno diz:

28

Pausini diz:

Fazes o que?

Bruno diz:

Engenheiro e arquiteto

mas isso vc vai falar

?

não fala não

Pausini diz:

Não se preocupe

Bruno diz:

Olha a ética!

Pausini diz:

Afinal qualquer um pode ser engenheiro,arquiteto e se chamar João, Thiago, Douglas e por aí vai

e isto como pseudônimo

Bruno diz:

Ok tudo bem

Pausini diz:

Deixa eu salvar toda a conversa aqui agora.

Bruno diz:

Não não salva.