A complexidade das relações amorosas dos homossexuais

Encontrar um amor ou parceiro fixo está cada vez mais difícil no mundo tribalista de hoje, e mesmo que algumas garotas ainda apostem na idéia do príncipe encantando ou que alguns rapazes ainda desejem tomar para si uma donzela, as relações de afeto do mundo atual tendem a seguinte regra: transar (ficar), namorar, noivar e por fim casar. O problema é que apenas 10% dessas relações transpõem a primeira fase o ficar , o que a grosso modo, pode-se com categoria afirmar que, nos dias de hoje o amor está cada vez mais frio nos corações das pessoas.

Mas se isso se torna problemático para àqueles que buscam uma relação mais duradoura e consistente como o amor, é também a única forma que muitos se utilizam para viver diversas transas e emoções até poder escolher uma para que possa se relacionar de fato.

Mas por que problematizar um assunto tão banal como esse? Por que exatamente é isso, o cerne que nos  une para que possamos viver em uma sociedade orgazinada e equilibrada. Mas se a busca pelo amor verdadeiro é assim tão caótica nas relações heterossexuais, ela certamente se duplica quando passa para a esfera homossexual. Isto não por que os homossexuais não sejam capazes de amar como os heterosssexuais, mas por que muitas vezes a escolha do parceiro ideal tende a ser distorcida quando a barreira entre heterossexualidade e homossexualidade é rompida.

Por exemplo, existem muitos casos em que um rapaz gay se apaixona por outro heterossexual, onde a própria orientação sexual dos dois por serem diversas tenderá a distanciá-los, embora esse mesmo contraste possa entesá-los e inflarmar-lhes a libido. Pois é preciso levar-se em consideração que existem muitos casos comprovados  de rapazes heterossexuais que esporadicamente ou não praticam relações sexuais com gays, e aqui cabe lembrar que todos são unânemes em afirmar que o que buscam é apenas satisfação e prazer sexual, nada mais.

E é exatamente aí onde reside o x da questão, pois embora seja perfeitamente concebível que um homem, que se autodesigna heterossexual, pratique sexo com um homossexual, este jamais poderá se apaixonar pelo gay, pois se assim o fizer estará negando sua própria orientação sexual.

Assim embora dois homens com orientações sexuais diversas possam praticar sexo entre si, estes jamais poderão se amar e manter uma relação estável, concreta e verdadeira. É claro que muitos se iludem discordando disto, pois sei que também existem muitos casos  em que dois homens de natureza sexual divergente convivem ou até namoram. Entretanto se nós nos aprofundarmos um pouco mais nesses casos veremos que,  o que os une é o jogo do interesse, da ambição e do status. Por isso afirmo categoricamente que dois homens só poderão se amar e serem felizes, se os dois forem gay.

Mas então por que será que existe esta infração  na órbita das orientações sexuais? O que leva um heterossexual a se deitar com um homossexual ou vice-versa?

Em uma enquete realizada por mim no orkut, por entre um grupo de 200 rapazes heterossexuais,  180 afirmaram que o que os motiva é o dinheiro ,10 que inflamavam-se por aqueles mais afeminados e por causa disso mesmo conseguiam sentirrem-se atraídos por estes, e outros 10 por que estavam extremamente carentes.  Participe

Já a mesma pesquisa realizada em um grupo de 200 rapazes homossexuais, 190 afirmaram que  sentiam-se atraídos  pela masculinidade, característica que, segundo a maioria afirma, a grande maioria dos gays são carentes, e apenas 10 afirmaram que a própria transgressão da categoria (hetero/homo) despertava-lhes a libido.

Diate disso, podemos afirmar que a complexidade de se encontrar um parceiro fixo ou amor no meio desta transgressão é extremamente alta, uma vez que são duas partes antagônicas e que momentaneamente se unem apenas por alguns minutos de um coito.

É esta a ideía que nos passa Marcos (25), estudante de arquitetura, paulista e gay assumido desde os seus 18 anos . “Meus amigos ficam perplexos comigo quando eu lhes digo que eu não gosto de ficar com outro gay. Isto por que eu prezo pela masculinidade e quando percebo que o rapaz tem qualquer trejeito afeminado logo perco meu interesse e sei que o mesmo acontece quando os gays me vêem, pois sei que sou afeminado. Mas o que é ainda mais incrível é que eu também consigo despertar entre estes supostos heteros o interesse sexual”, afirma.

Já Renan ( 29), estudante de jornalismo, maranhense e bissexual afirma que quem fica com outro homem mesmo que esporadicamente ou por impulso, não pode se considerar jamais hetero, mas sim bissexual. ” O que as pessoas hoje em dia têm medo é do rótulo, pois conheço muitos amigos meus que me confessam que sentem vontade de transar com algum gay mas que se sentem inibidos com medo do que irão pensar de si mesmo depois”,declara.

De fato, eu elaborei a seguinte categoria de homossexuais para que àqueles que  pensam que ser homossexual é apenas o sujeito que gosta de outro homem e desmunheca, possam entender a complexidade da coisa.

Assim temos quatro categorias. A primeira é elencada pelas bichas que são os homossexuais digamos mais  clássicos e ao mesmo tempo mais satíricos e satirizados. São aqueles que tendo trejeitos femininos e muitas vezes aparência feminina abusam desses seus dotes para esteriotipar quem são de fato, sem contudo jamais conseguir alcançar uma feminilidade plena e completa. Exemplo: Vera Verão ( Jorge Lafon).

A segunda é formada pelos gays que são os homossexuais, digamos menos esteriotipados, uma vez que, embora tenham ou não trejeitos afeminados não buscam a caracterização feminina. Esta é a maior de todas as categorias. Exemplo: Fredy Mercury, Clodovil.

A terceira categoria é composta pelos travestis ou transsexuais, que como o próprio nome já diz, é formada pelso homeossexuais que se transmutam ( por meio de cirurgias), ou se travestem para melhor se caracterizarem como mulher, pois buscam a feminilidade plena e absoluta. Exemplo: Roberta Close.

A quarta categoria é formada por aqueles que eu chamo de entendidos, que são os homossexuais mais complexos  de indentificar, pois, ao contrário dos demais, não possuem nenhum trejeito ou traço que possa distorcer sua masculinidade, pelo ao menos na aparência.  Esta é a segunda maior categoria e é onde a maioria dos homossexuais enrustidos se encontram. Exemplo: Renato Russo, Evaristo Costa.

Veja mais.

Cabe lembrar que esta classificação independe das predileções sexuais (ativo, passivo ou versátil) e que delas estão excluídos os bissexuais, ainda que se assemelhem a algumas das características supracitadas.

Mas por que classificar os homossexuais nesta categorias. Por que assim acredito que cada qual sabendo quem ou o que de fato é, saberá o que buscar e onde buscar. Assim, acredito eu que, uma bicha jamais quererá namorar com um travesti ou uma transssexual. Mas um entendido talvez sim, assim como que para  um gay será mais fácil sentir-se atraído por um entendido ou mesmo outro gay. Isto por que, como a busca pela masculinidade é quase unanimidade na maioria dos casos, este mesmo grau de masculinidade tende a decrescer conforme as categorias.

Para ficar ainda mais fácil segue o quadro abaixo:

Gay – Masculinadade  amena

Bicha- Masculinadede irrelevante

Travesti ou transsexual – Masculinidade inexistente

Entendido – Masculinidade perceptível, forte.

Grau de compatibilidade proposto:

Gay x gay

Entendido x travesti ou transsexual.

Bicha x entendido

Veja mais

3 comentários em “A complexidade das relações amorosas dos homossexuais

  1. Olá Pausini. Muito interessante o artigo, assimo como todo o seu blog em si.

    As relações homossexuais são realmente bem complicadas em se comparando com os héteros e os fatores são inúmeros. Alguns dos quais você já citou muito bem aqui, outros são mais difíceis de se entender, tem a ver com a cultura, a própria homofobia internalizada, a “incompatibilidade” nas posições sexuais, entre outros…

    No caso da relação homo-hétero, a coisa é bem mais fetichista. Não passa muito do sexo. Eu inclusive escrevi uma matéria para uma revista falando justamente sobre a utopia que alguns homossexuais têm de encontrar um “bofe” machão fora do meio gay para uma relação amorosa. Pura ilusão.

    Mas a coisa vai mais além: O que dizer das relações entre homens que vivem nas prisões? Eles transam por necessidade, por instinto, sem interesses sentimentais ou fiannceiros envolvidos…E oque eles são? Gays? Bi?

    Sobre as categorias, concordo em parte. Rotular é sempre complicado, ainda mais quando se ilustra com exemplos.

    Gays e transexuais, ao meu ver, não deveriam ser incluidos no mesmo “balaio”, digamos assim, porque as questões são totalmente distintas. Um transexual, por exemplo, não é necessariamente homossexual, embora a maioria seja. MAs existem trans que se relacionam com mulheres (lésbicas). A transformação se dá por uma questão de gÊnero e não de orientação sexual.
    Também é praticamente impossível ver um gay se relacionando com uma trans. Transexuais se relacionam com héteros, que vêem nela o protótipo ideal: corpo de mulher, mas com aquele “complemento” que lhes dá prazer.

    Enfim, é assunto para horas de conversa…

    Estarei sempre por aqui.

    Abração!

    • Kiko Riaze que bom que apreciaste minha matéria.
      Sei que é complicado rotular as pessoas, mas eu acho que cada um de nós acaba se identificando com uma determinada tribo ou grupo social, e é isso que nos possibilita a coesão social.

  2. Bom Já escrevi em seu outro escrito, sobre as diferenças… Vamos lá as minhas contribuição ser revisar o texto.

    Fiquei chateado por ser chamado por Inrrustido, me enquadrando nos que não demonstram ser gay… Sabe como os Heteros me chamam ? ” Plantado “. Nem a Coca-cola é mais aquelas coca-colas toda. Rótulos, não funcionam. Cada um é oque é! Assim como meu Ficante que a cinco anos, não conseguimos se sair um do outro, babado ! até delegacia já deu em nossa história. Pode ?

    Ao seu texto agora, as relações, não são complicadas, voçe é que as complica. voçe é que as define, voçe é que quer uma definição delas.

    Homens e Mulheres se relacionam, fazem filhos como seus pais, se separam, brigam, dão e recebem Corno. Porque que com os Gays deverim ser diferente ? Uma quantidade de seus entrevistados disseram que vão pelo dinheiro. Por que que voçe não pergunta, quanto desses entrevistados, não pagam PAU para a namoradinha que ontem foi uma fódinha, e hoje tem que sustentar um ou quem sabe no pior das hipóteses, ( como meu ficante) terem dois filhos para sustentar. Será que a mulher desses caras também não estão com seus namoradinhos por causa do dinheiro ?

    Analise voçe o mundo Hetero, e verá que os dois mundos tem os seus diabinhos… Acho ainda que o do Hetero consegue ser muitissímo pior que o mundo das MONAS.

    Filho, pensão, mulher que dá corno, que engravida de outro cara e diz que é seu, homem que têm, duas três mulheres, com cada uma um filho… Pobre mal amadas…

    Questionar oque meu amigo ? Fique feliz com oque voçe têm e é. Acababou daqui a pouco, voçê já até morreu, ai eu lhe pergunto, voçe viveu oque com essas lamurias todas… ?

    Eu sou complexo, Gay na regra é complexo, é artista, é produtor de moda, é excelente Cabelereiro, é excelente JORNALISTA, é faxineiro, é Cozinheiro. é rico, é pobre. Nosso mundo não é e jamais será mais complexo que o mundo dos Heterossexuais. Alhas deixe eu te lembrar sem o mundo deles, voçe Gay não estaria escrevendo esse Blog.

    Deus te ilumine .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s