A difícil tarefa de Criticar arte

Esta é uma tarefa, ao contrário do que muitos pensam, um tanto complexa por que requer deste profissional um amplo conhecimento senão prático, pelo ao menos teórico do que é arte.

Arte, portanto, poderia ser conceituada como a livre manisfestação da criatividade e inventividade humana unida a uma mensagem e beleza sensitiva. Quem for capaz de fazer isso quer seja na dança, na pintura, na música, no teatro, literatura ou cinema está sem dúvida fazendo arte, e  deve ser considerando um artista.

Claro que se a coisa se resumissse a isso, a tarefa do crítico de arte seria menos complexa do que se imagina, pois qualquer crítico de arte que se preze não pode apenas se limitar a descrever, por exemplo, uma exposição de artes plásticas, um filme, um livro ou espetáculo de teatro. Antes ele deve procurar interpretar ou decodificar a mensagem que uma determinada manifestação artística pretende transmitir para o público que é o seu alvo. Deve também saber pontencializar a beleza desta mesma arte ou depreciá-la se for o caso, mas desde que com um embazamento teórico para que sua crítica não possa soar esdrúxula ou pejorativa, mas  sim construtiva.

De fato a principal missão de um crítico de arte, não importando o veículo de comunicação que ele utilize para se relacionar com o público, é sem dúvida fomentar a opinião do público diante da arte a qual ele se refere. Todavia, é preciso que ele mesmo assim, saiba discernir entre aquilo que é sua opinião particular e aquela que possivelmente virá a ser a do público, ainda que este possa vir influenciar esta última.

Portanto, mesmo para aqueles que nada entendem de arte ou de seus conceitos teóricos, fica o alerta de que, para criticar é preciso ter conhecimento e embazamento naquilo a qual nos referimos. Ou seja, para criticar arte é preciso que se faça arte, ou pelo ao menos conheça-se seus conceitos e aplicações, por que opiniões do senso comun sempre têm a tendência de cairem em uma linguagem esdrúxula  e vulgar, onde ataques pessoais não a arte mas ao artista podem sempre serem lançados, confundindo assim o público alvo para que tome e forme sua própria opinião.

Se vou criticar uma música ou uma performance( dublagem) show de transformismo, por exemplo, é preciso que eu  reflita em muitos aspectos tais como: a dublagem, a performance, a produção, a mensagem (intenção do trabalho), a edição, o tema ou proposta lançada para o público, e por fim as causas e efeitos que esta irá ou não surtir no público.

Não basta apenas que eu, enquanto crítico, diga apenas que o show ou o espetáculo foi bom ou ruim. É preciso que eu diga os porquês, e que eu busque acima de tudo,relacioná-los com a intenção ( mensagem lançada ).

Convidos a todos que se interessarem nesta pesquisa e problemática para visitarem a seguinte página de orkut e depois procurem por uma comunidade chamada Laura Pausini e pesquisem um tópico nessa comunidade chamado  ” Tranformista Cover de Laura Pausini” para que possam tirar suas própiras conclusões do que acabei de explicitar. Além disso, aproveitando o ensejo faço um alerta para que também possam avaliar e  ver se conseguem tirar entre tantos comentáristas um único crítico de arte de fato nesta referida página.

Autor: Lohanna Pausini

Escritora, Jornalistaa, cantora e atriz. Uma artista plural, mas que tem se dedicado com afinco à literatura e ao jornalismo

Uma consideração sobre “A difícil tarefa de Criticar arte”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s