Prostituição via internet

A internet, desde a sua invenção, tem se tornado uma ferramenta indispensável para quase todos os serviços na atualidade. De fato, se pode encontrar quase de tudo na rede, desde produtos à venda, informação e até relacionamentos afetivos.

E a prostituição, que embora, ainda seja vista como uma profissão indigna, suja e vulgar, também se transferiu para a internet. Assim, existem muitos sites de garotas e garotos de programas e até de agências que se especializam na venda de sexo através da internet, através de anúncios e postagens , e que  são vistos por clientes  que procuram prazer e sexo sem compromisso.

Embora a prostituição ainda seja mal vista pela sociedade, a mesma tem se tornado uma fonte de renda para muitos, profissionais do sexo ou agenciadores. E como todo produto ou serviço que é vendido na internet, sempre levanta um mundo de suspeitas. O maior receio, de grande parte dos clientes é justamente agendar um encontro com alguém que  eles nunca viram. Outros, entretanto, admitem que se sentem mais seguros saindo com um travesti ou uma garota que pertence a uma agência, por que em caso de litigio , furto ou desavenças, eles sabem  a quem recorrer para prestar queixa.

Em um bate papo descontraído, Gleisson Ferreira Rocha (21), que é um agenciador de profissionais do sexo,nos conta em detalhes como funciona o trabalho destas profissionais do sexo.

Gleisson Ferreira Rocha, agenciador de garotas de programas na cidade de São Luís

Gleisson Ferreira Rocha, agenciador de garotas de programas na cidade de São Luís

Cézar Júnior: Então Gleisson, há quanto tempo você está atuando como agenciador de garotas de programa?

Gleisson:  Eu comecei no ano de 2011. No início achei que não fosse ser um trabalho muito lucrativo, por que eu tinha poucas garotas. Eram apenas 4, e eu retirava uma pequena porcentagem do programa que elas faziam.

Cézar Júnior:  Quanto é a porcentagem que você retira de cada programa que elas fazem hoje?

Gleisson:  ( risos) Bom, eu retiro 40% do valor estipulado, e que varia entre R$ 100,00  a  R$ 150,00. Dependo do que o cliente deseja.

Cézar Júnior: E como funciona  a sua agência? Como você recruta as garotas e agenda os programas das mesmas?

Gleisson: Bom,  recrutar é  a parte mais fácil do serviço, já agendar os programas é que se torna um pouco mais complicado.

Cézar Júnior: Por que?

Gleisson:  Por que quando eu vou recrutar uma garota de programa eu geralmente utilizo anúncios em jornais ou até mesmo na própria internet, no meu site.  Aí então eu crio um blog para cada uma das minhas garotas, pois a idéia é que o cliente sinta atração imediata por aquela que ele mais ache interessante, e uma página personalizada, é ideal para isso. Por isso mesmo eu não uso apenas uma página  ou um único blog. Nesses blog que eu gerencio, evidentemente eu posto as fotos das garotas de programas. Fotos sensuais, fotos despidas, fotos com elas elegantemente vestidas e etc. E ali coloco um texto onde descrevo o que uma determinada garota sabe fazer no sexo, e o que mais lhe agrada no sexo, que tipos de homens ela gosta , e por fim meus contatos, e-mail, msn, telefones.

Cézar Júnior:  Então os clientes entram em contato diretamente com você, escolhem a garota e com você mesmo efetuam o pagamento?

Gleisson: Exato, sou eu quem levo as garotas para o lugar do encontro e o cliente deve pagar antecipadamente. Aí logo depois, eu repasso a porcentagem para ela.

Cézar Júnior: E as garotas não ficam digamos, ressentidas por não receberem elas mesmas o dinheiro diretamente dos clientes?

Gleisson: De maneira alguma. elas sabem que foi eu quem conseguiu o cliente para elas. Então elas, não poderiam protestar sobre isso.

Cézar Júnior: Mas nesses dois anos de atuação como agenciador, você já teve algum litigio ou desentendimento com suas garotas ou mesmo os clientes?

Gleisson: Já sim. e isso é até normal que aconteça nesse tipo de trabalho. Afinal tem gente, que sempre que nos passa a perna em toda parte.

Cézar Júnior:  Cite-nos um exemplo

Gleisson: Bem, uma vez uma garota foi comigo ao encontro de um cliente e chegando lá, ela disse que o preço era outro, ou seja maior do que nós tínhamos combinado e que também queria receber ela mesma o pagamento, sem intermediação da agência. Aí o cliente evidentemente se recusou pagar mais e ela foi dispensada tanto por mim como por ele.

Cézar Junior: E essas profissionais do sexo, são todas da cidade de São Luís?

Gleisson: Nem todas. Algumas são do interior, inclusive eu as recruto em suas próprias cidades, onde vivem uma vida modéstia, e ambicionam ter algo na vida, mas como não tem muita formação elas acabam sendo excluídas e eu ofereço esta oportunidade de terem algo.

Cézar Júnior: Mas então você, as mantém. Paga o aluguel, supermercado, e outras despesas delas?

Gleisson: Olha, isso é meio relativo. Pois as que são da capital, a maioria vivem com suas próprias famílias e totalmente independentes de mim. Agora as que eu recruto nas cidades do interior, essas sim eu mantenho uma casa de aluguel para elas. mas todas contribuem nas despesas através de pequenas quotas.

Cézar Júnior: Ou seja, você também desconta uma outra porcentagem nos programas delas para suprir essas despesas.

Gleisson: Sim, mas é algo pequeno.

Cézar Júnior: Mas você consente, por exemplo, de uma das suas garotas fazer um programa independente da tua agência?

Gleisson: Claro que sim. e isso acontece muito. Por exemplo, elas podem está em uma festa e lá conhece um cara e fechar um programa. Aí o dinheiro é totalmente dela.

45a10b8d9850b38b58b64233143c443cCézar Júnior:  Mas isso poderia abrir um precedente para que elas deixassem de fazer programas com você. Não acha?

Gleisson: Acredito que não, por que veja só. Elas precisam ajudar a pagar o aluguel da casa onde vivem, além das demais despesas, e esse pagamento elas fazem através dos programas que eu agencio. Agora se ela quiser se desligar da minha agência, ela pode fazer isso a qualquer momento.

Cézar Júnior: Posso fazer uma pergunta um tanto indiscreta? ( risos)

Gleisson ( risos): Perfeitamente.

Cézar Junior: Você já se relacionou ou se relaciona com suas garotas?

Gleisson: Já sim. Afinal, são belas mulheres e eu sou homem… então. Mas acredite ou não, isso não acontece com frequência, pois  preciso separar as coisas afetivas do lado profissional.

Cézar Júnior:  Mas você chegou a comentar que também está começando a trabalhar com travestis. É o mesmo esquema?

Gleisson:  Sim, é verdade. E o esquema é o mesmo. Mas os travestis não meio complicadas de se trabalhar.

Cézar Júnior: Por que?

Gleisson: Por que a maioria deles são muito gananciosos. Agente combina um preço e depois do programa feito eles exigem um pouco mais do cliente, e aí claro gera um tremenda confusão. Além disso, eu não admito que minhas garotas cometam qualquer espécie de  crimes, pois se fizerem eu mesmo aciono a polícia, e os travestis, a maioria, cometem pequenos furtos de celulares, carteiras, grana e etc.

Cézar Junior: Mas por que elas fazem isso e as garotas não?

Gleisson ( risos) : Eu também queria saber! Mas acho que é por que, elas são mais audaciosas e independentes do que as garotas. Mas muitos clientes os procuram, por isso eu comecei a recrutar alguns travestis.

Cézar Júnior: Bom para encerra nossa entrevista Gleisson. Que conselhos você daria para quem quer se aventurar como uma profissional do sexo ou um agenciador de garotas de programas?

Gleisson:  Acho que a primeira coisa é tomar a decisão certa. pois não adianta a garota começar a fazer programas cheia de medo ou repulsa pela prostituição. Ela tem que pesquisar, assistir reportagens sobre a prostituição, e aí ver se realmente é isso o que ela quer. Outra coisa é ela também ser muito esperta para não ser enganada  por agenciadores de quinta categoria, para que não seja enganada. Sempre perguntar para o cliente quanto é que ele está pagando e aí ela calcular a porcentagem que vai ganhar e se a mesma é justa dentro do valor estipulado. Já para quem quer se tornar um agenciador, basta agir com honestidade para com suas garotas, por que se ele for fiel para com elas, elas  serão um bom negócio para ele. Tratá-las bem, e claro investir em anúncios, ensaios fotográficos e nunca jamais trabalhar ou recrutar menores de idade.

Cézar Júnior: Ok Gleisson, foi um prazer entrevistá-lo, e parabéns pela sua ousadia e coragem de falar sobre este assunto que para muitos ainda é um tabu.

Gleisson: Eu é que agradeço, pela oportunidade de esclarecer este assunto, que como você mesmo falou, ainda é um tabu.

Contatos:

http://www.facebook.com/gleissonferreira.rochaferreira

http://www.mafiadaputaria.info/fotos-amadoras/denise-de-sao-luis/