Desvendando a Responsabilidade Social empresarial

     Investir na imagem institucional da empresa e incentivar os colaboradores a participar de ações sociais é algo necessário no mercado atual. Isso porque as empresas começaram a perceber que a concorrência pode ser também minimizada por meio de ações sociais ou seguindo pelas diretrizes da responsabilidade social.

     Sabe-se que a responsabilidade social é um conjunto de ações e/ou estratégias que uma determinada empresa executa com o objetivo de compensar a sociedade por ter cometido alguma infração contra a mesma. Essas ações podem ser projetos sociais, ações sociais ou até mesmo patrocínios a eventos públicos. Em outras palavras, a empresa está querendo se desculpar por ter cometido algum tipo de agressão à sociedade.

     Todavia, para que uma empresa desenvolva sua responsabilidade social nem sempre é preciso que ela agrida para que depois compense.  Criar ações sociais tornou-se sinônimo de crescimento e desenvolvimento, pois esse tipo de iniciativa não só valoriza os funcionários como também a pertinência da própria empresa diante da sociedade, além de contribuir para manter sua visibilidade de forma positiva.

     20130414_091411 2É esse tipo de responsabilidade social que o Instituto Brasileiro de Políticas Públicas – IBRAPP vem empenhando-se em prestar para a sociedade. O EquoibrappEcoibrapp, Natal Eu Acredito e Blitz da Saúde são exemplos de ações sociais que o Instituto elabora e executa em seu plano de responsabilidade social, pois o IBRAPP acredita que o mercado de trabalho é algo que vai além da mera concorrência entre empresas. Antes, é um cenário onde empregador, empregados e a sociedade civil estabelecem relações (responsabilidade social) de credibilidade onde estas são refletidas por meio das ações que uma determinada empresa executa.

A importância das ONG’s para a gestão pública

 

            O Brasil é um dos países onde as desigualdades sociais ainda promovem muitas exclusões e por conta disso a sociedade brasileira apresenta-se extremamente estratificada. Isso pode ser mensurado por meio dos altos índices de desemprego, distribuição de renda desequilibrada, capacitação profissional a um número reduzido de pessoas, bem como formação e acesso ao conhecimento de forma segmentada.

            Essa carência acaba gerando não apenas números estatísticos de desempregados ou daqueles que são considerados excluídos da sociedade, mas também insatisfações populares que muitas vezes são expressadas por ondas de violência. Além disso, tais agravantes acabam contribuindo para que o país tenha um desenvolvimento econômico, cultural e educativo inferior àqueles considerados do primeiro mundo.

            ONG's-IBRAPP--políticas-públicas--projetos-sociaisSabe-se que o Brasil é um país extremamente populoso e de proporções continentais, e isso certamente dificulta a gestão pública para que esses agravantes possam ser sanados. Mas se a gestão pública, sozinha, não consegue sanar esses problemas, ela, contudo, não pode deixar a sociedade sem respostas.

            É nesse contexto que as Organizações não governamentais (ONG’s) como o IBRAPP, se fazem pertinentes como parceiras da gestão pública, onde podem atuar como tentáculos para que o poder público consiga atingir todas as classes sociais e atender a todas as suas demandas. Dependendo da área de cada uma dessas Organizações, barreiras sociais podem ser quebradas, pois projetos e programas sociais de cunho educativo, capacitação profissional, vínculo empregatício, ambiental, cultural e tantos outros, são elaborados e executados por muitas dessas ONG’s, fazendo com que o terceiro setor seja atualmente reconhecido pela sociedade como um parceiro por excelência do setor público na implantação de políticas públicas.