Câncer de mama, a cura está em suas mãos.

Câncer-de-mama-IBRAPP--Outubro-Rosa     Atualmente o câncer de mama é o câncer mais comum nas mulheres, e sua incidência, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), se dá na maioria das vezes por falta de um preventivo.

     De fato o câncer de mama, é uma doença que obedece a um ritmo de progressão e retrocesso contínuo, e exatamente por isso, um exame preventivo pode não apenas pode colaborar para um diagnóstico precoce da doença como também ser um marco significativo na cura.

    De acordo com a mastologista Gláucia Mesquita (SES), a maior arma contra o câncer de mama, ainda é a conscientização de que a doença tem prevenção e que um diagnostico precoce aumenta as chances de cura. “O problema é que muitas mulheres só procuram ajuda médica quando a doença já está em um estágio avançado, e isso dificulta o tratamento”, afirma.

     O câncer, por ser uma doença degenerativa, precisa ser combatido assim que os primeiros sintomas aparecem e por isso mesmo a ênfase em exames preventivos é uma das principais ferramentas da campanha Outubro Rosa. Campanha esta que tem como objetivo sensibilizar a sociedade de que o câncer, embora ainda seja uma grave doença, pode ser combatido com eficiência.

     Para Iêda de Ribamar Lopes Pinheiro (65), professora aposentada e que contraiu a doença no ano de 1996, a vitória sobre o câncer de mama deu-se por meio dessa conscientização. “Eu pensei que minha vida tinha acabado quando os médicos me falaram que eu estava com câncer em uma de minhas mamas. Quis desistir, mas depois tomei confiança e corri atrás de um tratamento cirúrgico, de radioterapia e quimioterapia. Infelizmente tive que retirar uma de minhas mamas. Aprendi caro, que com um exame preventivo poderia ser diferente”, enfatiza.

     Exemplos como o de Iêda provam que o tratamento contra o câncer de mama ao longo dos anos evoluíram e que, embora os efeitos colaterais da radioterapia e quimioterapia ainda persistam em existir, estão sendo minimizados desde que a doença seja diagnosticada precocemente.

     É em apoio a esta causa que o IBRAPP, pela ocasião da campanha Outubro Rosa, difunde o slogan “Câncer de mama, a cura está em suas mãos”, com o objetivo de contribuir com a ideia de que exames preventivos e diagnósticos precoces fazem toda a diferença no combate ao câncer de mama.

Inclusão social aos deficientes visuais

     Ser deficiente visual é algo que, embora possa impor certas limitações, não pode ser jamais visto como uma impossibilidade para se viver de forma mais autônoma. De acordo com o Instituto Brasileiro de Políticas Públicas – IBRAPP, os deficientes visuais para que possam atingir essa autonomia, precisam ter acesso por parte das autoridades competentes a um conjunto de políticas públicas que lhes possibilite essa inclusão social.

     Ainda de acordo com o IBRAPP, uma dessas formas de inclusão social é por meio de uma educação eficaz e participativa do sistema de escrita e leitura em braile onde não apenas os deficientes visuais se sintam capacitados a ler e escrever, mas também que a sociedade de modo geral tenha a dimensão da complexidade intelectual e cognitiva que o sistema em braile representa.

219     É nesse contexto que o IBRAPP, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de São Luis, promoveu oficinas de leitura e escrita em braile entre os dias 30/09 e 30/10 com o objetivo de socializar a importância desse tipo de conhecimento para que os deficientes visuais se sintam mais inclusos na sociedade.

   Para Derocy Dias (25), deficiente visual e professor de leitura e escrita em braile a principal importância dessas oficinas é tornar a sociedade a par das dificuldades que uma pessoa com deficiência visual enfrenta para se tornar inclusa na sociedade. “Nós precisamos mostrar para a sociedade que temos capacidade de não apenas ler e escrever, mas de viver de forma um pouco mais autônoma. Só precisamos de apoio nesse sentido”, afirma.

.