Bolsa Família x Inclusão Produtiva

      Euro-coins-in-hand430O programa Bolsa Família está completando dez anos de atuação onde cerca de 13,8 milhões de famílias já foram beneficiadas. Além disso, o programa está presente em todos os 5.570 municípios brasileiros, onde beneficia diretamente 50 milhões de pessoas o que equivale dizer um gasto de 24 bilhões de reais por ano aos cofres federais. Mas, se o objetivo inicial do programa era reduzir o índice de extrema pobreza e as desigualdades sociais do país, hoje o Bolsa Família tem recebido inúmeras críticas sobre sua contribuição naquilo que muitos julgam uma alternativa paliativa de combate à pobreza.

     A jornalista Fernanda Allegretti, por exemplo, alega que, embora o Bolsa Família tenha contribuído para a redução da extrema pobreza no Brasil, ele tem criado um círculo vicioso de esmola. “Extinguir o Bolsa Família e abandonar as famílias miseráveis à própria sorte obviamente não é a solução. E nenhum governante lúcido ousaria fazê-lo. Mas, dez anos depois, convém buscar um caminho capaz de tirar as pessoas com capacidade produtiva do círculo vicioso da esmola” afirma (Sem porta de saída. Revista Veja. 13/09/13).

     Mas se o Bolsa Família acaba criando esse círculo de esmolas, então qual seria a alternativa para garantir renda e inclusão produtiva para essas famílias?

     Segundo o Instituto Brasileiro de Políticas Públicas – IBRAPP, o Programa Bolsa Família serviu como uma medida emergencial de combate à linha de pobreza, e que a solução para garantir a inclusão produtiva dessas famílias pode ser a soma de outros programas e projetos sociais que, fazendo alusão ao velho provérbio chinês, não somente “doam o peixe, mas garanti-lhes as condições necessárias para pescá-lo.

     De acordo com Jefferson Abrantes, gerente administrativo do IBRAPP, o projeto Inclusão Produtiva, é uma prova de que existem alternativas que, somadas ao Bolsa Família podem contribuir não apenas para a transferência de renda mas também para a inclusão produtiva de muitas famílias. “Nossa experiência com o projeto Inclusão Produtiva, tem provado que quando garantimos condições básicas de produção, o indivíduo é capaz de desenvolver e exercitar todo seu potencial produtivo e isso equivale dizer que pode sentir-se incluso socialmente”, afirma.

      Ainda de acordo com Jefferson Abrantes, o projeto Inclusão Produtiva, que é realizado pelo Governo de Minas Gerais e que está sendo executado pelo IBRAPP, é atualmente um dos grandes pilares do Governo de Minas no combate ao desemprego e à pobreza no estado, pois o projeto não só promove o empreendedorismo solidário nas regiões mais pobres de Minas Gerais, como também garante renda a muitas famílias.

     Então, se Programas como o Bolsa Família geram vícios de improdutividade e uma vez que não se pode  extingui-lo devido a sua pertinência assistencialista para aquelas famílias que sobrevivem  com renda de R$ 140,00 por pessoa, então o exemplo do projeto Inclusão Produtiva de Minas Gerais seria uma das soluções para retirar muitas pessoas da condição de meros pedintes do governo federal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s