As origens da AIDS

    76962789168376c297265cb8e40a32e7 Desde a pandemia da AIDS nos anos 80 que muito se tem falado e discutido sobre como evitar, tratar e conviver com essa Síndrome da Imunodeficiência Adquirida que já matou mais de 20 milhões de pessoas em todo o mundo e já contaminou cerca de 40 milhões, mas que só uma pequena parcela da população mundial realmente saber qual é a verdadeira origem dessa doença.

     Quando o vírus foi descoberto oficialmente no ano 1979, a comunidade científica alarmou-se diante da complexidade e pontecialidade do microrganismo ao parasitar as células CD4 do sistema imunológico humano e destruí-las. Mas qual a origem do vírus chamado HIV?

     De acordo coma comunidade científica mundial, o vírus teria se originado a partir de uma mutação do vírus SIV encontrado em algumas espécies de símios (chimpanzés e macacos verdes da África). O SIV então, em contato com as células do organismo humano teriam resultado no HIV. Ainda de acordo com a comunidade científica, essa contaminação poderia ter ocorrido por que algumas tribos da África têm o costume de consumir a carne de chimpanzés e também domesticá-los.

      Todavia, nesta tese existe uma falha que leva as mais fantásticas especulações, pois os cientistas nunca conseguiram comprovar esta mutação e muito menos manipulá-la a partir do vírus SIV encontrado nos chimpanzés africanos em contato com células humanas. Além disso, os africanos desde tempos imemoriais sempre domesticaram macacos e consumiram sua carne. Então por que somente nos anos 80 explodiu a epidemia da doença? E por que os próprios africanos somente nesse período começaram a ser contaminados com o vírus?

220px-2007.09.16._Hilary_Koprowski_by_Kubik_01

Hilary Koprowski

     Diante disso, muitos jornalistas, como o americano Tom Curtis começaram a investigar as reais origens do vírus e como ele contaminou a humanidade. Curtis descobriu que de fato o vírus SIV é o progenitor do HIV, pois existem similaridade entre ambos, embora o SIV nos macacos não sejam letais. Mas o que intrigava Curtis era como essa mutação teria ocorrido. E buscando isso, o jornalista no ano de 1983 deparou-se com uma possibilidade bombástica e que abalaria a comunidade científica e o mundo; a de que essa mutação teria ocorrido a partir da manipulação da vacina da poliomielite produzida pelo cientista belgo Hilary Koprowski na década de 50 em um laboratório experimental no Congo.

     Tratava-se de uma grave acusação, pois de fato o composto usado para a produção dessa vacina é justamente retirado dos rins e do fígado de símios (macacos verdes) onde atenua-se o vírus SIV transformando-o em uma arma contra a poliomelite. A descoberta dessa vacina foi comemorada em todo o mundo porque a poliomielite até então nos anos 50 não tinha cura e ceifava muitas vidas, sobretudo de crianças. Então ocorreu uma caça enorme em busca desses animais já que eram eles a matéria prima para vacina. Assim, macacos verdes de todo o mundo começaram a ser importados para os principais laboratórios até que a população desses animais começou a diminuir, e segundo Curtis, o cientista Koprowski teria então começado a fazer experimentos com outras espécies de símios para continuar a manipular a vacina; os chimpanzés.

      Contudo, o vírus SIV encontrado nos chimpanzés não é o mesmo encontrado nos macacos verdes, pois enquanto o vírus nos macacos verdes pode ser atenuado, nos chimpanzés, ele mostrou-se ser mais agressivo e resistente a todos os compostos e manipulações e por isso mesmo sujeito a mutação. Teria Koprowski então em seus experimentos produzido esse vírus mutante?

95135614-child-receives

Crianças sendo vacinadas no Congo contra a poliomelite na década de 60

     A vacina oral de Koprowski então começou a ser produzida no Congo e rapidamente comercializada e importada para os Estados Unidos. As primeiras pessoas a serem vacinadas evidentemente foram os próprios africanos, onde justamente registram-se os primeiros casos de pessoas contaminadas pelo vírus HIV.

     Mas o erro de Curtis foi publicar no ano de 1992 sua reportagem em uma revista não da ciência, mas sim de música a Roling Stone, e isso soou como especulação e boato logo de imediato diante da sociedade. Koprowski processou o jornalista e, apoiado pela comunidade científica, obrigou-o a pagar-lhe uma gorda indenização por calúnia e difamação, além de contribuir para a destruição da carreira de Curtis.

    Já Koprowski alegou nunca jamais ter produzido sua vacina a partir de chimpanzés e seu laboratório, embora tenha sido fechado no Congo, a justiça americana e belga não conseguiram comprovar a existência desses experimentos mesmo diante do testemunhos de caçadores e de ex-funcionários do laboratório de que experimentos com chimpanzés eram realizados pelo cientista

     Outros jornalistas prosseguiram em suas denúncias contra o laboratório de Koprowski até que com a explosão da pandemia da AIDS ele retirou-se do cenário científico até que seu nome fosse esquecido por grande parte da população mundial como um dos gênios da vacina da poliomielite.

aids2

Africana vítima da Aids na década de 80

    O fato é que mesmo após 30 anos da descoberta do vírus e todas as conquistas que se tem avançado em busca da cura da AIDS, ainda permanecem muitas lacunas sobre sua origem, e talvez por causa disso mesmo existam tantos entraves para se chegar a uma cura definitiva contra o vírus HIV.

Cézar Júnior

MTB 1180/MA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s