A mulher trans ou o corpo de uma travesti é algo que ainda povoa a mente de grande parte dos homens despertando-lhes uma estranha libido, inclusive dos autodeclarados heterossexuais. A travesti ao longo dos anos foi sempre associada à prostituição, porque marginalizada pela própria sociedade que a discrimina, essa mesma sociedade é a que consome essa prostituição.Mas, o que é mais curioso nessa questão não é apenas essa hipocrisia que máscara essa falsa moralidade, mas sim os próprios conceitos da sexualidade que ao categorizar que heterossexuais são aqueles indivíduos que fazem sexo ou simplesmente sentem atração sexual por pessoas do sexo oposto, quando então se deparam  diante do corpo de uma trans ou travesti parece que uma fronteira acaba se rompendo nesse sentido. Sim,  uma mulher trans pode ser heterossexual ou não, mas quando um homem a procura tentando unir sua feminilidade com algo que ela ainda carrega de masculino, isso embora deva ser encarado como um fetiche sexual, pode também lançar dúvidas sobre a própria heterossexualidade desse homem.

Talvez, ele tenha encontrado no corpo da travesti e da mulher trans uma resposta para algo latente nele mesmo; sua bissexualidade. De fato, entre as siglas LGBT, os bissexuais são os que estão mais incógnitos, porque transitam justamente despercebidos, não assumidos, preferindo a zona de conforto que a heterossexualidade lhes confere, porque a sociedade é heteronormativa. Contudo, acredito piamente que os heterossexuais não são os que dominam a sociedade em quantidade, mas sim os bissexuais, sobretudo, os não assumidos. Estes se escondem, afirmando que apenas gostam de transar com pessoas, ou que simplesmente optam vez por outra em provarem coisas diferentes. Existem ainda àqueles que tão somente desejaram ter uma experiência com alguém do mesmo sexo. E assim eles continuam transitando, incógnitos, calados, na surdina, porque temem serem associados à homossexualidade.

Essa incongruência se funde com a imagem do corpo de uma trans e travesti, porque um homem bissexual não assumido ao receber os impulsos de sua libido pode se sentir ora inclinado a transar com uma mulher, e ora a transar com um homem. Mas, isso nem sempre é fácil de se conseguir para quem deve viver na surdina, na zona cinza da sexualidade. Pois, como dar uma cantada em um homem sem ser gay? É nesse contexto que esses tipos costumam procurar travestis e transexuais para satisfazerem sua libido, porque no corpo delas, eles podem encontrar justamente as duas coisas sem lhes ferir aquilo que eles mais temem: a perda de sua masculinidade ou heterossexualidade. Por que ainda que este homem tenha sido, por exemplo, passivo na relação sexual ao transar com uma travesti, ele jamais vai deixar de se sentir menos homem diante disso, porque justamente tem a ideia de que foi sodomizado por uma mulher e não um homem.

 

 

 

 

 

Mas, se a predileção desse homem for justamente o pênis, é forçoso dizer que ele não poderá jamais ser encarado como heterossexual pela ciência, haja vista que ela diz que o que determina a heterossexualidade é justamente a pessoa sentir atração sexual pelo sexo oposto. Então este homem cria a fantasia, o fetiche sexual para camuflar sua bissexualidade para si mesmo. O problema é que muitas das vezes é este mesmo sujeito que acaba desenvolvendo sentimentos de transfobia, e passa a agredir moralmente e até fisicamente a mesma trans ou trasvesti que ele tanto deseja. A prova disso é justamente o cenário da sociedade brasileira. O Brasil é o país que mais mata pessoas transexuais, e no entanto é também o país onde mais se consome pornografia trans. É o país que mais acessa sites de pornografia de travestis. É o país onde mais existe prostituição de travestis. E quem são esses clientes? Os mesmos que as agride em redes sociais, nas ruas, nas igrejas, nas escolas, faculdades e esquinas.

Deixo uma questão mais que pertinente aos meus leitores;  será que o motivo de tanta transfobia desses tipos de homens seja justamente por conta de sua própria sexualidade mal resolvida? Será que o corpo das trans e das travestis representam para ele justamente o que ele mais teme controlar? Será que para justificar sua posição de macho e hétero ele precisa se associar àqueles que verbalizam ódio por pessoas trans? Deixem seus comentários.

Vamos ao debate.