Na noite de ontem 9.07), a diretoria do grupo Gayvota se reuniu com representantes de movimentos sociais da comunidade LGBT e da sociedade civil para deliberarem questões pertinentes à organização da 16ª Semana e Parada LGBT+ de São Luis. Questões como temáticas que serão abordadas no evento foram abordadas, bem como a própria estrutura para o evento onde foi discutida estratégias de segurança, acessibilidade, comunicação, produção e logística. Tudo para que este ano o evento possa de fato contemplar a cada uma das letras que compõem a sigla LGBT+.

De acordo com Ricardo Lima, presidente do grupo Gayvota, a ideia de democratizar a organização do evento é justamente demonstrar que a Parada pelo Orgulho LGBT de São Luís está sendo reconfigurada a partir de iniciativas como essa, e que dialogando com os movimentos sociais e demais associações que lutam pelos direitos de pessoas LGBT, como a AMATRA ( Associação Maranhense de Travestis e Transexuais), gays, lésbicas, transgêneros e bissexuais, por exemplo, poderão se sentir de fato incluídos na mobilização.  “Quando se promove um evento como a Parada pelo Orgulho LGBT, deve-se levar em conta o interesse de cada um dos segmentos que compõem esta sigla. Por isso achei necessário convocar seus respectivos representantes e ouvi-los. E as propostas que deles recebi foram edificantes para a promoção de um evento fantástico, unindo diversão com mobilização social”, afirma.

Este ano o Grupo Gayvota traz como tema para a Parada pelo Orgulho LGBT de São Luís os 50 anos da Rebelião de Stonewall, e relembra que a escolha do tema é pertinente devido ao enfrentamento da política retrógrada e repressiva do governo atual instalado no país. O evento está programado para acontecer em outubro deste ano.

Além da Parada pelo Orgulho LGBT de São Luís, foram debatida propostas para serem encaminhadas para as comissões de comunicação e produção do grupo Gayvota para a promoção da Semana pelo Orgulho LGBT onde seminários, palestras, shows, exposições e etc, deverão acontecer na semana que antecede a Parada. O objetivo é não só aumentar a visibilidade da comunidade LGBT no Estado do Maranhão, como também enfatizar que existe uma cultura LGBT a ser explorada.