Uma live solidária promovida ontem dia 30.07 em um parque aquático,no município de Paço do Lumiar (MA), região metropolitana de São Luis (MA), e que contou com a participação da cantora Mara Pavanelly e da sociality Tatiana Lobão, acabou gerando uma grande aglomeração em plena pandemia do coronavírus desrespeitando um decreto estadual, que proibe a realização de eventos nesse sentido. De acordo com Vigilância Sanitária, os responsáveis pela organização do evento irão sofrer sanções que prever interdições do empreendimento e multa de até 1milhão de reais.

Mas, além dessa polêmica, a cantora Mara Pavanelly, durante a realização da live fez uma chacota da imagem de um dos convidadose participantes da live, o digital influencer Diogo Ramos que na ocasião dividia o palco com a cantora e demais convidados e estava dando informes sobre a forma de doação on line para a campanha solidária da live. O digital influencer ao ficar confuso em que possição da tela se encontrava o QR Code, foi interrompido pela cantora Mara Pavanelly que disparou ” viado tu tem que escolher qual bicho que tu quer ser; viado ou burro”.

A atitude da cantora gerou repercursão nas redes sociais e está sendo criticada como agressiva e desrespeitosa com a classe LGBT, pois muitos gays se sentem ofendidos ao serem rotulados de “viados”, já que o termo é uma alcuna criada para depreciar, desprestigiar a dignidade da pessoa gay.  Além disso, a comunidade LGBT também acabou se sentindo ofendida devido a equivalência que a cantora colocou da imagem estereotipada que se tem da pessoa gay; um bicho ( bicha). Outra questão encarada como ofensa foi a cantora ter dito que o digital influencer não era dotado de inteligência ou nas palavras da cantora ” era burro”.

Todavia, muitos fãs da cantora afirmam que tudo não passou de uma brincadeira, e que Mara Pavanelly, trata todos seus amigos LGBT assim dessa forma e que não foi intenção dela ofender a ninguém. Mas, é bom lembrar que, quando se faz piada de alguém, é preciso levar-se em consideração se a pessoa alvo da piada quer rir de si mesma ou se ela naquele momento, quer ser alvo de chacota, caso contrário se configura como crime de injúria, difamação e até mesmo homofobia.