A juventude maranhense como uma força motora para o desenvolvimento do Estado do Maranhão

     jovens-trabalhadoresExistem no Maranhão cerca de 2 milhões de jovens com idade entre 18 a 29 anos de idade. Desse total, cerca de 47% sobrevive com menos de meio salário mínimo e 23,9 % não estuda e nem trabalha, o que demonstra o quanto a juventude está alheia a sua capacidade produtiva para o desenvolvimento do Estado. Os dados são da Secretaria da Juventude do Estado do Maranhão, apresentados durante o evento de lançamento do Plano de Ação da SEEJUV ocorrido no dia 20 de fevereiro. Durante o evento houve espaço para uma tribuna livre onde os jovens da plenária puderam contribuir com suas sugestões de implantação de políticas públicas nas áreas da educação, emprego e geração de renda, saúde, inclusão social dentre outras.

     Mas, se 30% da população Maranhense é composta de jovens e que buscam melhorias em sua qualidade de vida, é preciso que exista não só uma estratégia que atenda a todos os eixos reivindicados, mas também gerar, a partir disso, melhorias no próprio desenvolvimento do Estado. De fato, se a proposta do Governo Flavio Dino é aumentar o IDH do Estado do Maranhão, a juventude não pode permanecer alheia à sua capacidade produtiva em desenvolver o Estado. E se uma das médias em que o Maranhão menos cresceu nos últimos dez anos, de acordo com o IBGE, foi na geração de renda, então é preciso que esses jovens sejam incentivados ao empoderamento econômico, quer seja por meio de capacitações e cursos profissionalizantes ou mesmo de projetos específicos que possam assegurar aos mesmos que possam trabalhar, estudar e se qualificarem ao mesmo tempo.

     Jovens-no-Mercado-de-Trabalho-IBRAPPÉ nesse contexto que o IBRAPP já elaborou diversos projetos voltados para a inserção de jovens no mercado de trabalho. Exemplo disso são os projetos Projovem Trabalhador- Juventude Cidadã e o Projeto Jovem Cidadão, que por meio de ações promovem oportunidades de trabalho, emprego e renda para jovens em situação de vulnerabilidade que estejam fora do mercado de trabalho por meio de qualificação sócio-educativo-profissional.  A pertinência da implantação de tais projetos, de acordo com o IBRAPP, pode justamente auxiliar a SEEJUV a utilizar a população dos jovens como uma força motora para um desenvolvimento mais amplo do Maranhão, uma vez que os referidos projetos estão alicerçados em três eixos: inclusão social, educação e geração de renda.

O IBRAPP promove Conferência de imprensa para debater melhorias no IDH do Maranhão

01 Oct 2000 --- Press conference --- Image by © Gabe Palmer/CORBISNo dia 26 de janeiro às 14 horas, o IBRAPP vai promover a Conferência de Imprensa que traz como título central “Como melhorar o IDH do Maranhão?”. A ideia é promover um debate democrático com os profissionais da imprensa acerca dos principais motivos que fazem do Maranhão um dos Estados brasileiros com o menor índice de desenvolvimento humano.

Além disso, durante o evento o IBRAPP vai explanar como o projeto de Comunidades Produtivas – Empreendendo Sonhos, pode contribuir para melhorar uma das médias do IDH como, por exemplo, a geração de renda de alguns municípios maranhenses considerados de acordo com o IBGE como os 30 mais pobres do Maranhão. No evento o evento o IBRAPP pretende fomentar uma tempestade de ideias por parte dos jornalistas como formar de encontrar possíveis alternativas acerca dessa problemática.

A Conferência será realizada no auditório da sede do IBRAPP, localizada na Avenida Antares nº 157 – Recanto dos Vinhais/São Luís – MA ( próximo a alvorada motos na curva do noventa. Os profissionais da imprensa que queiram participar da conferência devem procurar a assessoria de comunicação e imprensa do IBRAPP e realizar suas inscrições pelos fones 2106 5580/ 988681307. Vagas limitadas

O IBRAPP PROMOVE DEBATE SOBRE O IDH DE MUNICÍPIOS MARANHENSES

     Ocorreu nos dias 13 e 14 deste mês, grande debate em São Luís, no auditório da sede do Instituto Brasileiro de Políticas Publicas – IBRAPP,  acerca de soluções praticas para a melhoria do IDH no Estado do Maranhão.

       Segundo os dados do censo de 2010 realizado pelo IBGE, o Maranhão ainda é um dos Estados brasileiros com o menor índice de desenvolvimento humano (0,639 IDH). De acordo com os comparativos de  dados disponíveis pelo instituto, várias cidades do Maranhão tem IDH semelhante a países africanos.

Fernando-Falcao(1)
Trabalhadores rurais de Fernando Falcão

     Para se ter uma ideia, alguns municípios como  Fernando Falcão e Centro do Guilherme, com pouco mais de 12.565 habitantes, possui IDH 0,542 semelhante a países como Angola e Quênia. Isso equivale dizer que a  educação, a longevidade e a renda da população desses municípios estão muito abaixo do medianamente aceitável  pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

     Segundo Charles Mendes, Diretor Executivo do IBRAPP, uma das soluções para que esses municípios maranhenses possam começar a se desenvolver seria primariamente mudar a matriz de desenvolvimento do Estado, que está baseada em grandes empresas para pequenos arranjos produtivos que permitissem que a riqueza produzida no Estado, ficasse mais próximo das pessoas. “Devemos incentivar sim grandes empresas virem para o Estado, mas isso não é suficiente. Às vezes uma cidade pode ter uma grande empresa e em volta da mesma haver bolsões de miséria. Se você olhar o PIB de um município e eventualmente este for bom, não quer dizer  necessariamente que a riqueza gerada por grandes empresas está se transformando em melhoria de renda para a população”, afirma.

Foto Dr 2
Dr. Charles Mendes, diretor executivo do IBRAPP

     No debate houve grande participação de pessoas dos escritórios regionais do IBRAPP em vários Estados, bem como soluções como o projeto implantado pelo IBRAPP em Minas Gerais chamado Inclusão Produtiva. A ideia é que este projeto de geração de renda e acompanhamento especializado duradouro possa ser replicado no Maranhão e em outros Estados do Norte e Nordeste sendo ajustado a realidade local.Em projetos como este, há um maior  planejamento eficaz de políticas públicas que possibilitem o acesso à educação e geração de renda para melhorar a qualidade devida da população.

     Umas das promessas do governador eleito Flavio Dino, foi justamente melhorar o índice de desenvolvimento humano do Maranhão. Não é tarefa das mais fáceis e para cumprir esse grande desafio, é preciso que o gestor público não somente tome conhecimento da real situação dos municípios, bem como encontre soluções viáveis e baratas para o alavancamento do IDH. O projeto implantado pelo IBRAPP pode ser uma solução viável já que só em Minas Gerais abrangeu mais de 75 municípios, contribuindo para que pequenos produtores pudessem sair da linha de extrema pobreza nesse Estado.